Você pode me passar a sua chave PIX?

Esta frase já se tornou corriqueira no nosso dia a dia. Afinal, desde que foi lançado, no final do ano de 2020, o PIX, pagamento instantâneo do Banco Central, vem ganhando cada vez mais adeptos.

Mas, ainda existem alguns questionamentos que giram em torno do meio de pagamento eletrônico. Por isso, para sanar estas dúvidas, continue acompanhando este artigo e conheça as vantagens do PIX.

O que é o PIX?

Em resumo, o PIX é um meio de pagamento eletrônico que realiza transferência de forma instantânea, em apenas alguns segundos, em qualquer dia e horário, incluindo os finais de semana.

Uma das vantagens do PIX, é a facilidade e agilidade nas transferências. Sem a necessidade de um cadastro ou aplicativo externo, você tem acesso diretamente no aplicativo da sua instituição bancária.

Além disso, para usar o PIX não é necessário ter uma conta corrente, é preciso apenas que tanto o pagador, quanto o recebedor, tenham uma conta em um banco, instituição de pagamento ou fintech.

PIX: Inovação em transações bancárias promete movimentar o mercado financeiro

Como usufruir das vantagens do PIX com segurança

Quando falamos em vantagens do PIX, logo lembramos do fato de que, diferente do que acontece com uma TED ou DOC, a transação é realizada em tempo real, mesmo tratando-se de contas de bancos diferentes e além disso, sem custo para pessoa física, com pequenas ressalvas, que vamos descrever em seguida.

Formas de efetuar a transação do PIX

As transações do PIX podem ser realizadas através de:

  1. Chave PIX: o usuário pode adicionar a uma conta que já possui, uma chave de transferência. Ela pode ser o número de celular, e-mail, CPF ou CNPJ ou números aleatórios disponibilizados pelo sistema.
  2. QR Codes: a terceira opção são os QR Codes, que podem ser dinâmicos ou estáticos. Veja a seguir o que cada um representa.

Diferença entre os QR Codes

As nomenclaturas dos QR Codes disponíveis no PIX, são diferentes, e sua função também.

O QR Code dinâmico, é aquele gerado exclusivamente para uma única transação. Por isso, ele é o mais indicado em casos de transações entre pessoas desconhecidas. Além disso, ele possibilita incluir informações adicionais, como identificação do recebedor e valor de juros.

Já o QR Code estático, pode ser usado para diversas transações com um valor fixo. Ele também permite a inserção do valor pelo pagador.

Cobranças de taxas pelo PIX

É importante ficar atento em casos de eventuais taxas pelo uso do serviço, pois, no caso de pessoas físicas, empresários individuais e MEI’s, as instituições financeiras só estão autorizadas a cobrar, quando:

  1. A operação tiver uma finalidade comercial
  2. Após 30 transações mensais por conta. (Neste caso, a tarifa só pode ser cobrada a partir da 31ª transação)
  3. Transações por QR Code dinâmico.

No caso de Pessoa Jurídica, fica liberado a cobrança em qualquer transação, porém em todos os casos, os valores das tarifas são definidos pela própria instituição financeira. E em ambas as regras, somente o recebedor pode ser cobrado.

Cadastro da chave PIX em várias contas

Como já descrevemos anteriormente, existem diversas formas de cadastro para sua chave PIX. Mas, é importante ressaltar que não é possível cadastrar uma mesma chave em diferentes bancos. Neste caso, se você quiser usar a chave já cadastrada em outra conta, precisará realizar a portabilidade.

No entanto, é possível cadastrar várias chaves diferentes em um único banco. Porém, uma única instituição pode acumular o máximo de cinco chaves de qualquer tipo, por cliente.

Se você gostou deste artigo, veja também:

Canhotos digitais: siga essas dicas para escolher a melhor solução

Deixe-nos um comentário :)