O ser humano aprendeu a gerar, controlar e distribuir a energia elétrica. Com ela, fez grandes avanços e continua estudando para aprimorar ainda mais a sua produção. Sabemos da importância da Gestão Energética nas indústrias e também nas residências. Mas, afinal, como funciona o setor elétrico no Brasil?

A divisão do setor elétrico

  1. Geração

O setor elétrico brasileiro é predominantemente de geração hidrelétrico, sendo justificado pela quantidade de reversas de água doce, consideradas uma das maiores do mundo. Mas, existem diversas fontes de energia que atendem às necessidades e podem ser utilizadas, como por exemplo, a eólica, térmicas ou solar.

A geração também pode ser centralizada ou distribuída. No primeiro caso, a energia é produzida por usinas de maior porte e transmitida e distribuída para os consumidores finais por outras redes de transmissão e distribuição. Já no segundo, a energia é produzida no centro de consumo ou próximo dele.

2. Transmissão

A função da transmissão é levar a energia elétrica gerada nas usinas até as empresas de distribuição. O sistema de transmissão de energia no Brasil, é constituído por uma interconexão de linhas que se espalham por todo território nacional, chamado de SIN (Sistema Interligado Nacional). 

O SIN garante além da transmissão de energia, garantia de estabilidade na rede e a integração energética com países vizinhos.

3. Distribuição

E por último temos a distribuição. As empresas são responsáveis por receber a energia em alta tensão e rebaixá-las ao nível comercial para o consumidor final. Sendo ele de rede elétrica primária, que são as redes de média tensão que atendem as médias e grandes empresas e indústrias, ou secundárias, que são as redes de baixa tensão que atendem os consumidores residenciais.

 A transmissão é realizada por meio de fios condutores, transformadores, postes ou dutos subterrâneos.

As regras de transmissão e distribuição de energia no país são reguladas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL).

Veja também:

NF3e: conheça a Nota Fiscal Eletrônica de Energia Elétrica

O que é a Aneel?

Como citamos, a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) é responsável por regular e fiscalizar o sistema de energia elétrica como um todo.

A Aneel também define as tarifas de energia para os consumidores cativos – aqueles ao qual só é permitido comprar a energia da distribuidora detentora da concessão ou permissão na área onde está o consumidor – seguindo de acordo com as diretrizes estabelecidas para o setor pelo governo federal e o estabelecido em lei e nos contratos de concessão.

Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE)

Já a CCEE, é responsável pela gestão de compra e venda de energia entre consumidores livres – que pagam um valor resultante da sua opção individual de compra, que pode incluir contratos de diferentes prazos, maior ou menor exposição ao preço de curto prazo, gerindo seus erros e acertos de contratação – comercializadoras ou geradoras.

Operador Nacional de Sistema Elétrico (ONS)

O ONS é o órgão responsável tanto pelo planejamento da operação dos sistemas isolados do país, sob a fiscalização e regulação da ANEEL, quanto pela coordenação e controle da operação das instalações de geração e transmissão de energia elétrica no (SIN).

Agora que você já conhece um pouco mais sobre o setor elétrico no Brasil e as suas siglas, mantenha-se atento também sobre as obrigatoriedades da Nota Fiscal Eletrônica de Energia Elétrica, aqui no blog da NDD.

Deixe-nos um comentário :)